O e-book do Colcha de Retalhos está disponível para leitura online e para download, nos formatos pdf e epub.

Além disso, os leitores podem solicitar o envio do livro por e-mail:
rodrigodomit@gmail.com

Se gostar do livro, passe-o adiante!



7 de dezembro de 2014

Audiolivro Colcha de Retalhos, uma obra coletiva

Textos de Rodrigo Domit

Interpretação, vozes e sotaques de Alexandra Barcellos, Alvaro Marcos Teles, Ana Cecília Reis, Ana Paula Scolari, Andréa Filisberto, Ariadne Cavalcante, Carlos A. Antonholi, Eliziane N. Lobo Pacheco, Emilio Rogê, Fabio Honorato, Gabriela Kruger, Giovani Iemini, Gisele Pacola, Karen Debértolis, Larissa dos Santos Fernandes, Luana Shockness, Luisa Fresta, Marcel Francisco Veiga (Cel Bentin), Marcinha Girola, Mario Filipe Cavalcanti, Paulinho Sabbag, Rafael Cal, Rodrigo Domit, Rosa Cardoso, Sabrina Vaz, Sidclei Nagasawa, Thais Helena Cólus, Thaisa Carolina Meraki, Viviane Oliveira e Zé Alex

13 de maio de 2014

8ª Feira do Livro de Jaraguá do Sul

Saiu a programação da 8ª Feira do Livro de Jaraguá do Sul. Estarei lá, com o Colcha de Retalhos, nos sábados e domingos (7,8, 15 e 16 de junho).

Confiram a programação completa:
http://www.feiradolivro.org/2014/programacao/

4 de fevereiro de 2014

Colcha de Retalhos por R$0,01 nos sites da Saraiva e Siciliano

Caros amigos e leitores,

Agora o livro está disponível também nas livrarias Saraiva e Siciliano. Não nas prateleiras (pois não tenho dinheiro para isso!), mas no catálogo virtual

E o preço é realmente simbólico: R$0,01

22 de janeiro de 2014

Audiolivro Colcha de Retalhos - Em construção...

O edital para participação no audiolivro Colcha de Retalhos continua aberto e os interessados podem ceder sua voz e colaborar com esta obra coletiva voltada à acessibilidade.

Já tenho ao menos uma versão para cada texto, no entanto, há diversas vozes que se repetem pelo livro e, a princípio, a ideia é ter a maior variedade possível. Portanto, separei alguns dos textos que estão nesta situação, ou com problemas no áudio, e os reuni no seguinte arquivo: http://bit.ly/textos-ColchadeRetalhos

Qualquer um pode colaborar acessando o link acima - ou lendo o livro, que está disponível em http://bit.ly/e-colcha, selecionando um ou mais textos, gravando sua interpretação e me enviando por e-mail: rodrigodomit@gmail.com. Pode ser captado com máquina fotográfica, gravador, microfone, mp4, celular, com o aparelho que estiver ao alcance. Quanto ao formato do arquivo, também é bem livre. Mesmo que mande um vídeo com o áudio, eu posso captar apenas o áudio do arquivo e usar na edição. É bem simples, bem fácil e todas as informações sobre como participar podem ser encontradas aqui:

http://bit.ly/edital-audiolivro

Conto com a colaboração de vocês!

____________________



Agradeço desde já a todos que enviaram suas colaborações:

Alexandra Barcellos, Álvaro Marcos Teles, Ana Cecília Reis, Ana Paula Scolari, Andréa Felisberto, Ariadne Cavalcante, Carlos A. Antonholi, Eliziane N. Lobo Pacheco, Emilio Rogê, Fabio Honorato, Gabriela Kruger, Giovani Iemini, Gisele Pacola, Karen Debértolis, Larissa dos Santos Fernandes, Luana Shockness, Luisa Fresta, Marcel Francisco Veiga (Cel Bentin), Marcinha Girola, Mario Filipe Cavalcanti, Paulinho Sabbag, Rafael Cal, Rodrigo Domit, Rosa Cardoso, Sabrina Vaz, Sidclei Nagasawa, Thais Helena Cólus e Thaisa Carolina Meraki.

21 de novembro de 2013

Colcha de Retalhos nas mãos de grandes nomes da literatura brasileira

Eis as fotos que comprovam que o Colcha de Retalhos esteve nas mãos de Manuel Bandeira e João Cabral de Melo Neto. Tive a sorte de encontrá-los na mesma rua, a Rua da Aurora, em Recife.

 Manuel Bandeira

João Cabral de Melo Neto


Os exemplares ficaram nas mãos dos autores para quem os encontrasse. Outros exemplares foram doados para a biblioteca pública de Olinda, para a biblioteca do Ginásio Pernambucano e para a biblioteca pública de Recife (uma que fica no centro). Alguns outros exemplares foram estrategicamente posicionados pelos ônibus, terminais urbanos, praças, etc. Além disso, foram presenteados com livros o taxista que me deu carona de Porto de Galinhas a Recife, o carteiro que me deu carona da Oficina Brennand até o ponto final do CDU-Várzea, o guia do passeio pelos casarões históricos da cidade, um luso-brasileiro que participou deste mesmo passeio, os guias-anfitriões que consegui encontrar pela cidade, entre outros.


Eu quero é que o livro circule. E espero que os que apreciaram o livro tenham notado uma frase que está na última página: "Se gostou desta obra, passe-a adiante".

4 de novembro de 2013

Projeto do Audiolivro no Jornal Cultura - Jornal Angolano de Letras e Artes

O projeto de criação coletiva do audiolivro Colcha de Retalhos, voltado à acessibilidade de pessoas com deficiência visual ou dificuldade para a leitura, ganhou espaço no jornal Cultura - Jornal Angolano de Letras e Artes, através de uma crônica da escritora Luísa Fresta.

Para conferir o texto, acesse o seguinte endereço:
http://pt.scribd.com/doc/180966049/42-CULTURA-XLII-HISTORIAS-PARA-OUVIR


Para participar do projeto do audiolivro, basta selecionar um ou mais textos do livro, que está disponível gratuitamente AQUI, gravar sua interpretação em áudio e enviar para rodrigodomit@gmail.com


Estou contando com a colaboração dos amigos e leitores para compor uma bela colcha de vozes e sotaques!

A lista de textos que ainda não foram gravados encontra-se no seguinte link:
http://livrocolchaderetalhos.blogspot.com.br/2013/10/audiolivro-colcha-de-retalhos-em.html

22 de agosto de 2013

Edital - Audiolivro Colcha de Retalhos


Prezados amigos, colegas e parceiros!


Nos últimos meses, vem martelando em minha cabeça a ideia de produzir um audiolivro do Colcha de Retalhos, com o objetivo principal de promover a inclusão de pessoas com deficiência visual e/ou dificuldades para leitura.

Após organizar melhor as ideias sobre como produzir uma obra que seja interessante para os ouvintes e também compatível com a proposta do livro, pensei que a melhor forma seria abrir para o público, para que cada um colabore e ajude a formar um mosaico de vozes e interpretações distintas.

Sendo assim, está aqui publicado o edital de convocação para participação na construção desta obra coletiva que se inicia neste momento. Conto com a participação de vocês e, principalmente, conto com a colaboração de todos na divulgação deste projeto!





EDITAL PARA PARTICIPAÇÃO NO AUDIOLIVRO COLCHA DE RETALHOS

Este edital define as regras para participação na produção de uma obra coletiva: a versão em áudio do livro Colcha de Retalhos, escrito por Rodrigo Domit. Este projeto tem como objetivo promover o acesso a esta obra para pessoas com deficiência visual (cegueira, baixa visão, etc) e/ou dificuldade para leitura.

O livro está disponível para leitura e download pelo seguinte endereço:
http://pt.scribd.com/doc/147686460/e-Book-ColchadeRetalhos

Apresentação

1. O audiolivro será uma obra coletiva, a ser distribuída sem quaisquer fins lucrativos, e os que decidirem participar estão cientes de que não haverá qualquer forma de retribuição pecuniária por direitos autorais, uso de voz e/ou qualquer outra participação;

2. Cada interessado em colaborar pode produzir em casa, com os equipamentos que tiver à disposição, sua versão em áudio de um ou mais textos do livro; Este material deve ser digitalizado e o interessado deve encaminhar o arquivo por e-mail para rodrigodomit@gmail.com;

3. Caso as pessoas realmente se interessem em produzir o audiolivro e, nesse caso, se houver mais de uma interpretação do mesmo texto, a versão definitiva será selecionada pelos seguintes critérios: qualidade do áudio e preferência do autor do livro;

Obrigações do autor do livro:

4. O autor do livro compromete-se a reunir as gravações editar o audiolivro e a colocá-lo à disposição gratuitamente, a todos os interessados, pela internet.

5. O autor do livro também se compromete a enviar o arquivo para todas as bibliotecas que estejam abertas a receber este material;

6. Por fim, o autor do livro reitera o compromisso de que esta obra, de caráter coletivo, contando com a interpretação e a voz dos que se dispuserem a participar, não tem - nem nunca terá - fins lucrativos.

Obrigações dos intérpretes:

7. Colaborar com um projeto que visa à inclusão de pessoas com deficiência visual e/ou dificuldade para leitura;

8. Estar ciente de que este não é um serviço remunerado;

9. Compartilhar este edital e esta ideia, para que outros participem e para que outros autores e editoras façam o mesmo com suas obras.


Jaraguá do Sul, 18 de Agosto de 2013

Rodrigo Domit, autor do livro Colcha de Retalhos

24 de janeiro de 2013

Memórias no Correio Braziliense

Tive uma bela surpresa nesta semana.

Na quarta-feira, fui informado pelo Giovani Iemini, escritor de Brasília, que um texto meu havia sido publicado no caderno Diversão & Arte do Correio Braziliense, jornal de maior circulação na região centro-oeste do país.

O texto em questão leva o título Memórias e está na página 50 do livro Colcha de Retalhos.



21 de janeiro de 2013

Últimos exemplares do Colcha de Retalhos

Após se esgotarem meus exemplares do livro, algumas pessoas me questionaram sobre meios para adquirir a obra impressa.

Ainda há algumas opções, que seguem abaixo:

- Livraria Alternativa Cultural (vendas@altenativacultural.com.br)


2 de janeiro de 2013

Colcha de Retalhos na Estante Seletiva

A Estante Seletiva - site que dá dicas de leitura, filmes, teatro, viagens, etc - publicou em dezembro uma breve resenha sobre o Colcha de Retalhos.

Agora que retornei aos trabalhos, compartilho com vocês este texto, que também pode ser acessado por AQUI.


RESENHA - COLCHA DE RETALHOS, DE RODRIGO DOMIT
Por Wanessa Guimarães

O autor se mostra extremamente capaz de fazer com que algumas - breves - linhas, se tornem as mais explicativas e detalhistas. Realmente esse livro mudou a minha visão quanto aos contos e livros de bolso. Sem dúvidas entrou para a minha coleção de favoritos.

O quão perfeito... apaixonante. Uma obra inteligente. Comparações com animais, homens, o mundo em si e etc. Que país é esse? Rodrigo consegue expressar em uma obra de bolso com apenas 80 páginas o que uma obra de maior porte com 400, não consegue expressar. Contos encantadores que sem dúvidas mereceram ganhar o prêmio. Deveria ser uma leitura obrigatória, implementada nas escolas, ou pelo menos, acredito que todos deveriam ter a oportunidade de lê-lo e sentir o que eu senti. Não são apenas contos. Acreditem.