O e-book do Colcha de Retalhos está disponível para leitura online e para download, nos formatos pdf e epub.
O audiolivro está disponível para audição online e para download em formato mp3.

Além disso, os leitores podem solicitar o envio do livro por e-mail:
rodrigodomit@gmail.com

Se gostar do livro, passe-o adiante!



24 de janeiro de 2013

Memórias no Correio Braziliense

Tive uma bela surpresa nesta semana.

Na quarta-feira, fui informado pelo Giovani Iemini, escritor de Brasília, que um texto meu havia sido publicado no caderno Diversão & Arte do Correio Braziliense, jornal de maior circulação na região centro-oeste do país.

O texto em questão leva o título Memórias e está na página 50 do livro Colcha de Retalhos.



21 de janeiro de 2013

Últimos exemplares do Colcha de Retalhos

Após se esgotarem meus exemplares do livro, algumas pessoas me questionaram sobre meios para adquirir a obra impressa.

Ainda há algumas opções, que seguem abaixo:

- Livraria Alternativa Cultural (vendas@altenativacultural.com.br)


2 de janeiro de 2013

Colcha de Retalhos na Estante Seletiva

A Estante Seletiva - site que dá dicas de leitura, filmes, teatro, viagens, etc - publicou em dezembro uma breve resenha sobre o Colcha de Retalhos.

Agora que retornei aos trabalhos, compartilho com vocês este texto, que também pode ser acessado por AQUI.


RESENHA - COLCHA DE RETALHOS, DE RODRIGO DOMIT
Por Wanessa Guimarães

O autor se mostra extremamente capaz de fazer com que algumas - breves - linhas, se tornem as mais explicativas e detalhistas. Realmente esse livro mudou a minha visão quanto aos contos e livros de bolso. Sem dúvidas entrou para a minha coleção de favoritos.

O quão perfeito... apaixonante. Uma obra inteligente. Comparações com animais, homens, o mundo em si e etc. Que país é esse? Rodrigo consegue expressar em uma obra de bolso com apenas 80 páginas o que uma obra de maior porte com 400, não consegue expressar. Contos encantadores que sem dúvidas mereceram ganhar o prêmio. Deveria ser uma leitura obrigatória, implementada nas escolas, ou pelo menos, acredito que todos deveriam ter a oportunidade de lê-lo e sentir o que eu senti. Não são apenas contos. Acreditem.